QUARTETO DE CHORO

Tempo de leitura: 2 minutos

O Quarteto de Choro é formado por Maria Souto – flautas e saxofone; João Gabriel – clarinete; Glauber Seixas – violão; e Gabriel Leite – pandeiro. Depois de um longo período de seca, o Quarteto de Choro volta pra fazer a alegria do domingão no Parque das Ruínas. Traz todo mundo pra celebrar. A música só existe se compartilhada. A criançada é mais que bem vinda. Vamos fazer na raça e na vontade, sem nenhum tipo de patrocínio. Toda presença e contribuição com nosso “chapéu” é mais que bem vinda!

A HISTÓRIA DO CHORO

O Choro ou, como é mais conhecido, o Chorinho, é um estilo musical próprio da esfera urbana no Brasil. É um ritmo instrumental produzido no âmago das classes populares, que remonta aproximadamente há 130 anos atrás. Os músicos que executam este gênero foram batizados de chorões, enquanto os grupos musicais são intitulados regionais.

Ele é assim chamado por seu jeito lamentoso e choroso, embora seja caracterizado por uma musicalidade inquieta e eufórica, marcada pela habilidade excepcional dos instrumentistas na execução deste ritmo e também por seu poder de improvisação. Para tanto eles demandam muita dedicação, conhecimento e técnica, pois não é nada fácil de ser praticado.

Os grupos eram normalmente constituídos por chorões que gravitavam em volta de um trio composto por flauta, responsável pelos solos; violão, que adotava a performance de um contrabaixo, sendo assim conhecido como ‘baixaria’; e cavaquinho, o qual criava a harmonia musical através do equilíbrio entre os acordes e os ornatos do trecho, que preservavam o tema principal. O pandeiro também era manipulado para marcar os aspectos rítmicos.

O chorinho era igualmente chamado de pau-e-corda quando surgiu, pois as flautas tão usadas por estes músicos eram então manufaturadas com o uso de ébano. Esta música, que nasceu possivelmente na metade de 1870, em solo carioca, quando o Rio de Janeiro ainda era capital do Brasil, no Bairro Cidade Nova e nos subúrbios, foi uma adaptação brasileira do ritmo importado, vigente nas festas da elite do século XIX. Mas não demorou muito para que esta apropriação ganhasse status próprio e se destacasse, diferenciando-se da que era executada nas salas de baile dos nobres desta época, ou seja, da polca, da valsa e do xote, entre outros.

Fonte: http://www.infoescola.com/musica/chorinho/

SERVIÇO

Seja um apoiador do Giro 0800 a partir de R$ 1,00 https://apoia.se/giro0800

QUARTETO DE CHORO
Data: 11/06/2017
Local: Parque das Ruínas
Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169
Santa Teresa – Rio de Janeiro – RJ
Horário: 12 h às 13h30
OBS: Entrada franca! – Contribuição consciente, voluntária, afetuosa, livre e abundante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *