BREJA RIO

BREJA RIO

Tempo de leitura: 3 minutos

Breja Rio. Uma nova maneira de apreciar o melhor das cervejarias e gastronomia carioca. Dois dias de boa cerveja, comida, música, futebol e tendo como pano de fundo o visual da Lagoa. Essa é a programação do próximo Breja Rio. Nos dias 17 e 18 de agosto, das 14hs às 22hs, o festival terá como casa um dos endereços mais cobiçados da cidade, o Lagoon (Av. Borges de Medeiros, 1424), na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Além das tradicionais cervejarias – Therezinha, Capa Preta, Criatura, Mistura Classica, Viquin, Sundog, Farra, Noi, Jeffrey, Old School e Coordenadas, a 11ªedição do Festival traz quatro marcas estreantes – 2 irmãos, Wonderland, Orange Nadler e a Dream Beer. Para acompanhar, os visitantes podem degustar as delicias do Skull Burger, Blend de Minas, Degusta Espetos, Dog Ellas, Gusto, Haloo, Kaften, Sabor do Queijo, Espírito de porco, Japalito, Bar da Frente e Steak Choopers, entre outros.

A animação ficará nas mãos do DJ Set Festa Rockcetera e no domingo também com a banda Rock Me Out fazendo um especial MTV Anos 90. No sábado, telões vão exibir o clássico do futebol carioca Vasco x Flamengo. Durante todo o Festival a cervejaria Sundog vai fazer uma ação de adoção de cachorros junto com o Abrigo de Queimados (esse é o nome mesmo??). Quem se interessar pode fazer um cadastro na hora e já levar o bichinho para casa.

Novidade dessa edição, o copo personalizado do Breja Rio estarão disponíveis para compra por R$10,00.

A HISTÓRIA DA CERVEJA NO BRASIL

“Cerveja Marca Barbante” foi a denominação genérica dada às primeiras cervejas brasileiras que, com sua fabricação rudimentar, tinham um grau tão alto de fermentação que, mesmo depois de engarrafadas, produziam uma enorme quantidade de gás carbônico, criando grande pressão. A rolha era, então, amarrada com barbante para impedir que saltasse da garrafa. Refrescante e de baixo teor alcoólico, a cerveja foi aos poucos conquistando popularidade em nosso país tropical.

No Brasil a cerveja demorou a chegar, pois os portugueses temiam perder o filão da venda de seus vinhos. A cerveja chegou ao Brasil em 1808 trazida pela família real portuguesa de mudança para o então Brasil colônia. Consta que o rei, apreciador inveterado de cerveja, não podia ficar sem consumir a bebida. Com a abertura dos portos às nações amigas de Portugal, a Inglaterra foi a primeira a introduzir a cerveja na antiga colônia.

A bebida consumida pela população era a “Gengibirra” feita de farinha de milho, gengibre, casca de limão e água, essa infusão descansava alguns dias, sendo então vendida em garrafas ou canecas ao preço de 80 réis ou a “Caramuru” feita de milho, gengibre, açúcar mascavo e água, esta mistura fermentava por uma semana e custava 40 réis o copo.

Até o final da década de 1830, a cachaça era a bebida alcoólica mais popular do País. Além dela, eram importados licores da França e vinhos de Portugal, especialmente para atender à nobreza. Nesse período a cerveja já era produzida, mas num processo caseiro realizado por famílias de imigrantes para o seu consumo.

Fonte: Cervesia 

Seja um apoiador do Giro 0800 a partir de R$ 1,00, conheça o nosso projeto EU QUERO 

SERVIÇO

BREJA RIO
Datas: 17/08 e 18/08/2019
Local: Lagoon
Endereço: Av. Borges de Medeiros, 1424
Lagoa Rodrigo de Freitas – Rio de janeiro – RJ
Horário: 14 h às 22 horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.