FESTIVAL SE RASGUM

FESTIVAL SE RASGUM

Tempo de leitura: 3 minutos

Brega, pop, guitarrada, tecno, instrumental, carimbó são sonoridades que vão marcar uma noite paraense em terras cariocas. A pluralidade da música do Pará, aclamada no Brasil e internacionalmente, agora aporta no Rio de Janeiro, no período festivo trazido pelas Olimpíadas e Paralimpíadas 2016. A Se Rasgum Produções, empresa que produz há dez anos o Festival Se Rasgum em Belém, realiza uma edição especial. Os cinco shows terão como marca uma verdadeira mistura sonora, com encontros inéditos e parcerias que já existem dentro e fora de estúdio, além de promover o encontro de gerações. A história e a música tradicional paraense estarão vivas no show de Pinduca & Manoel Cordeiro, que apresentam carimbó com roupagem contemporânea. Os dois trabalharam juntos pela primeira vez em 2016, na produção do 36o disco de carreira de Pinduca, uma bela compilação dos clássicos de carimbós, comacheiras e siriás que marcaram a carreira do cantor. A guitarrada, outro ritmo típico do norte do Brasil, soa forte no encontro de Félix Robatto & Mestre Solano, que farão uma homenagem à guitarra paraense. Dois ícones — de um lado, Mestre Solano, que ajudou a criar e perpetuar o estilo, e de outro, Félix Robatto, um pesquisador da música latino-americana — que mostram seus trabalhos de lambada, cumbia, guitarrada e outras vertentes com o suingue do Pará.

No festival, a poesia nortista de encantados e da vivência urbana estarão no show de Toni Soares & Ana Clara. Ele é um veterano na música paraense, pesquisador de ritmos tradicionais e propulsor da marujada de Bragança, sua cidade natal. As letras de Toni já encantaram multidões no Arraial do Pavulagem e foram gravadas por vários artistas. Uma delas é Ana Clara, que deu seu toque agridoce de rock, pop e profundidade dramática no primeiro disco, lançado em 2015, com estética jovem, mas com maturidade musical. Desde então, a parceria dos dois já rendeu participações em shows e pela primeira vez dividem o palco num momento rico que mostra a singularidade da poética amazônica.

Quem faz pop com traços da música paraense são os jovens Felipe Cordeiro & Luê, que participam da festa. O show contempla o trabalho já consagrado dos dois cantores e instrumentistas, mostrando como soa o experimentalismo de sonoridades e batuques regionais com pop, rock, progressivo de um lado, e lambada, guitarrada, marujada e toadas de boi do outro.

Pluralizando ainda mais a noite, Strobo & Jaloo fazem um show eletrônico com influências da música tecno paraense e mundial. O instrumental da Strobo experimenta com programações e efeitos de guitarra e bateria que, nesta noite, encontram as batidas criadas por Jaloo, com estética essencialmente brega pop.

A festa começa às 21h do sábado, 17 de setembro, com shows divididos entre o Palco Arena e o Palco São Sebastião na Fundição Progresso, localizada no bairro da Lapa. Entrada franca.

SERVIÇO

FESTIVAL SE RASGUM
Data: 17/09/2016
Local: Casa da Cultura — Fundição Progresso.
Endereço: Rua dos Arcos, 24
Lapa – Rio de Janeiro – RJ

Palco Arena

22h – Toni Soares & Ana Clara
00h – Pinduca & Manoel Cordeiro
02h – Felipe Cordeiro & Luê

Palco São Sebastião

23h – Strobo & Jaloo
01h – Félix Robatto & Mestre Solano

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.