FIM DE SEMANA DO LIVRO NO PORTO

FIM DE SEMANA DO LIVRO NO PORTO

Tempo de leitura: 10 minutos

A Zona Portuária vai entrar em festa com mais uma edição do Fim de Semana do Livro no Porto, ou simplesmente (FIM), como diz o seu idealizador Raphael Vidal. Aquele papo no botequim da esquina, acompanhado de uma cerveja trincando e de um belisco sem igual, em que alguns amigos de longa data se unem a desconhecidos na troca de opiniões sobre assuntos de suma importância, como carnaval, futebol, malandragem, comida, botequim, macumba, violência, capoeira e muito mais…

PROGRAMAÇÃO:

FIM DE SEMANA DO LIVRO NO PORTO

BIRICUTICOS
Todos os dias
10h – 22h
Quermesse com autores e editoras independentes, livraria, sebos, artesania, moda literária, comidas e bebidas.

CIRCO
Todos os dias
Pernas de Sal
10h – Palhaçaria com oficina de pernas de pau e malabares. contação de histórias e criação de pés de latas personalizadas. Todas as idades (infanto-juvenil).

Sexta, dia 8 de dezembro

PAPOS
15h | Fórum Popular Carioca
A possibilidade de reinvenção do presente mirando o passado, o Exu que ginga, brinca e cria: vamos pensar propostas para um manifesto dos nossos desejos de cidade (Fórum Popular Carioca, 15h). Já tem muita gente boa confirmada, Rita da Sebastiana, André Fernandes da ANF – Agência de Notícias das Favelas, Flavio Aniceto, produtor cultural de Paquetá, Junior Perim, ex-secretário municipal de cultura, Julio Barroso, produtor e ativista… E muitos mais. No entanto, detalhe: é aberto para todos.
+ Fóum Popular Carioca – FIM – Praça Mauá

18h | “Tempo me disse que só com tempo a gente chega lá”

Aída Barros, Zé Luiz do Império e Benardo Oliveira
O respeito por um rito civilizatório: memória como flores em vida. Aída Barros, jornalista e produtora, traz seu documentário Tempo Ê em três sessões abertas (13h, 14h30 e 16h) e depois, junta-se ao filósofo Bernardo Oliveira [@entrecritica] e ao “mais velho” Zé Luiz do Império (um dos fundadores, ao lado de Nei Lopes, Candeia e Wilson Moreira, da ala de compositores do Grêmio Recreativo e Artes Negras Quilombo) para uma conversa fundamental sobre o samba — de hoje e das antigas — como resistência (18h).
+ Zé Luiz do Império, Aída Barros e Bernardo Oliveira no FIM

FESTAS

20h | Terreiro de Breque + Zé Luiz do Império celebram o Morro da Conceição no dia da padroeira.
E pra espantar a miséria a conversa vira festa! O baluarte do Império Serrano (escola fortemente ligada a estiva) cai na folia com o Terreiro de Breque (nascido na calçada da rua do Jogo da Bola, 51),celebrando o Morro da Conceição no dia da padroeira, Nossa Senhora da Conceição, com samba, ijexás, breques e baile carnavalesco (20h). Para ficar mais bonito, entregaremos um estandarte de honra ao mérito para o presidente da Banda da Conceição, Marcos Frigideira.

CINEMA
Tempo Ê {Documentário} de Aída Barros (13h, 14h30 e 16h)

Sábado, dia 09 de dezembro

PAPOS
14h | “Andá com fé eu vou / Que a fé não pode faiá”
Rodrigo Santos, Flávia Oliveira e Marcio Debellian
A fé no FIM é daquelas que sempre andou ao lado da disponibilidade para outras sapiências. É essa disponibilidade que nos parece estar em risco diante do avanço obscurantista dos que agora se apoderam do poder como capitães do mato tardios. E é essa disponibilidade para outros saberes que está em risco também em virtude de discursos e práticas religiosas fechadas e sectárias. Temos fé nas pessoas que choram, gargalham, nascem, morrem, celebram, balançam os corpos, seguram a onda batendo na palma da mão, brincam, molham a garganta com gorós diversos e inventam aldeias. Entre a vida plena e a morte certa, há quem ouse sobreviver e supraviver no encanto arrebatado, fazendo disso a matéria-prima para construir outros mundos: mínimos, frágeis, momentaneamente alegres, ocasionalmente sublimes e desafiadores, como genuíno exercício de fé não exatamente nos deuses, que parecem não se importar com os nossos dramas, mas na vida. É o caso de Flávia Oliveira (colunista d’O Globo), Marcio Debellian (diretor de Fevereiros) e Rodrigo Santos (escritor do romance “Macumba), que se misturam para o bate-papo “Andá com fé eu vou / Que a fé não costuma faiá” (14h).
+ Rodrigo Santos, Flávia Oliveira e Marcio Debellian no FIM

16h | “Vamos brindar o cansaço”

Marcelo Mirisola, Roberto Bomtempo e Bruna Mitrano
Mestre Candeia dá a deixa e a bênção para escritores e artistas que não se cansam jamais. Marcelo Mirisola (escritor), Roberto Bomtempo (ator, diretor) e Bruna Mitrano (escritora, poeta) brindam, à imagem e semelhança de Plínio Marcos, sua obra como prêmio da vitória da boêmia. E da resistência, do existir fazendo: em verso, prosa, peça, arte que dói, que ri, que vibra, insiste. De bar em bar, página a página, filme a filme, também a cidade não desiste. Tropeça e segue adiante, com sua arte altaneira em voo raso pelo baixio, ontem, hoje e sempre. “Vamos brindar o cansaço / Meus amigos, vamos brindar o cansaço” (16h).
+ Marcelo Mirisola, André Dahmer e Bruna Mitrano no FIM

18h | “Que São Sebastião do Rio de Janeiro / Ainda pode se salvar”

Omar Catito Peres e Alvaro Marechal
A saideira do sábado (18h) brinda a saudade de nossa cidade nos versos de Aldir Blanc, Paulo Cesar Pinheiro e Moacyr Luz: “Que São Sebastião do Rio de Janeiro / Ainda pode se salvar”. Convidamos Omar Catito Peres, empresário que vem preservando negócios tradicionais da cidade, resistindo contra as dificuldades impostas pelo poder público e que recentemente anunciou a volta do Jornal do Brasil em versão impressa, para um bate-papo com o jornalista Alvaro “Marechal”, carioca dos mais apaixonado pelo Rio, autor de “Dicionário Amoroso do Rio de Janeiro (Casarão do Verbo, 2015), com extensa carreira na imprensa brasileira, editor do suplemento literário Ideias&Livros, do mesmo Jornal do Brasil entre 2006 e 2010.
+ Omar Catito Peres e Alvaro Marechal no FIM

FESTAS

13h30 | Victor Lobisomem

15h30 | João Azevedo

17h30 | Juliane Gamboa

20h | Piseiros de Clementina com Fabíola Machado

Continuamos o furdunço com homenagem a Clementina de Jesus nos trinta anos de sua morte. Fabíola Machado (Moça Prosa) traz o show Piseiros de Clementina para o FIM do sábado (20h) — que começou com fé — terminar em festa.

MOLECAGENS

11h | Era uma vez um tirano {Ana Maria Machado} Leitura dramatizada | Cia. Serne

Domingo, dia 10 de dezembro

ENCONTROS

14h | “Toda festa que se dá ou não se dá / Passa pela fresta da cesta e resta a vida”
Luiz Antonio Simas e Leandro Vieira
Como o carnavalesco Leandro Vieira sabe e o enredo da Mangueira ensina, ainda que os dirigentes de escolas de samba pareçam desconhecer o fato, o Carnaval é o mais politizado dos folguedos brasileiros. Por aqui a gira de caboclo, a festa de São Jorge, a procissão do padroeiro, os entrudos, corsos, batalhas de confetes e flores, a festa da Penha, as rodas de capoeira, os bailes, blocos, rodas de pernada, ranchos, cordões, grandes sociedades, bailes de mascarados e escolas de samba, foram os espaços de invenção da vida no precário e viração da morte em alegria e arte. A festa é espaço de subversão de cidadanias negadas. Do embate entre a tensão criadora e as intenções castradoras, a cidade é um terreiro em disputa que pulsa na flagrante oposição entre um conceito civilizatório elaborado exclusivamente a partir do cânone ocidental, temperado hoje pela lógica empresarial e evangelizadora, e um caldo vigoroso de cultura das ruas forjado na experiência inventiva de superação da escassez e do desencanto. O embate pelo Carnaval carioca, lambuzado de contradições, rasuras, interações, novos sentidos, velhas tramas e repúdios, entre o corpo em transe e o corpo em pecado, está aguçado. “Toda festa que se dá ou não se dá / Passa pela fresta da cesta e resta a vida” (14h) com Luiz Antonio Simas e Leandro Vieira.
+ Luiz Antonio Simas e Leandro Vieira no FIM

16h | “Tá tudo dominado”

Andréa Pachá, Buba Aguiar e Orlando Zaccone
Mas como se faz festa em uma cidade cercada pelas violências? “Tá tudo dominado” (16h) reúne vozes que vivem e pensam as inseguranças cariocas. A juíza Andréa Pachá, a ativista Buba Aguiar e o delegado Orlando Zaccone se encontram para dividirem experiências e provocarem escapes para os dramas das ruas, delegacias e tribunais.
+ Andréa Pachá, Buba Aguiar e Orlando Zaccone no FIM

17h | “E o povo já pergunta com maldade: / Onde está a honestidade?”

Alberto Mussa, Marcia Tiburi e João Paulo Cuenca
Há oitenta anos perdemos Noel Rosa. Mas ele continua vivo em sua obra. Os versos “E o povo já pergunta com maldade:
Onde está a honestidade?” são tão atuais por aqui quanto no século passado. Aliás, índios e europeus em terras tupiniquins também já viviam dilemas parecidos desde o mito de Pindorama. Às vezes o que achamos ser novo pode ser o fundamento de nossas origens… Por isso, trouxemos os escritores Alberto Mussa, Marcia Tiburi e João Paulo Cuenca para um papo sobre nossas crises políticas — passadas, presentes e futuras — inspirados pelo poeta da Vila.
+ Alberto Mussa, Marcia Tiburi e João Paulo Cuenca no FIM

18h | “Liberdade a toda prova / Faz nossa gente sorrir”

Alfredinho do Bip Bip, Cristina Buarque e Marcelo Moutinho
Encerrando os encontros que pensam o Rio de Janeiro no FIM, convidamos nossos desejos de cidade: sorrir diante da liberdade de nossas escolhas. A cantora Cristina Buarque escolhe Paquetá, Alfredinho o Bar Bip-bip e Marcelo Moutinho opta pelo conto e a crônica na literatura. Três experiências de opções pelos afetos das mais simbólicas para uma cidade que cada dia mais se esvai em normas, censuras e vigilâncias. “Liberdade a toda prova / Faz nossa gente sorrir” (18h).
Alfredinho do Bip Bip, Cristina Buarque e Marcelo Moutinho | FIM

FESTAS

13h30 | Taís Feijão

15h30 | Nana Batista

20h | Folakemi Trio com a participação de Mariúza

Cambonos: Luiz Antonio Simas, Raphael Vidal e Zeh Gustavo.

Agendem: 8, 9 e 10 de dezembro na Praça Mauá!

Programação completa em: https://www.instagram.com/fim.rio/.

Expositores confirmados até 16/11:

Editoras
Azougue Editorial + Mórula + Relicário Edições + Editora Oficina Raquel + Lote 42 + Pallas Editora + Semente Editorial + Editora Mourthé + BookLook + Autografia Editora + Numa Editora + Editora Cidade Viva + ANF Produções + Outras Letras Editora + Editora Vermelho Marinho + Metanoia Editora + Amora Editora + Autonomia Literária + Dowslley Editora & Comunicação

Livrarias
Livraria Leonardo da Vinci + Nia Produções Literárias – literatura negra

Sebos
Baratos da Ribeiro Livraria Ltda + Livreiro Errante + Foguete Discos e Livros

Moda literária
Estamparia Literária + Poeme-se

Cervejarias artesanais
Cervejaria Resenha Informal + Cevaderia + Besten Cervejaria + Inesperada

Doces, geleias e compotas
Come Cone SG + Confeitaria Bodega Paquetá + Feitios Sol e Lua + Trufô – trufas artesanais

Drinks
Ester Drinks + Temperada

Gastronomia
Madame Saladeria + Cachorro-Quente da Fátima + Suburbana Cozinha + Acarajé da Nana

Artesanato e Moda
Santuário Relicário + Ester Artesanatos + Chapellerie Brazil + Canto da Sereia + Eva Medeiros + Sereiyá

Imprensa:
whatsapp 984721040
[email protected]

Seja um apoiador do Giro 0800 a partir de R$ 1,00, conheça o projeto CLIQUE AQUI 

Conheça o nosso canal no Telegram, se inscreva totalmente grátis EU QUERO 

SERVIÇO

FIM DE SEMANA DO LIVRO NO PORTO
Datas: 8, 9 e 10/12/2017
Local: Praça Mauá
Centro – Rio de janeiro – RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.