FESTA BATMAKUMBA

FESTA BATMAKUMBA

Tempo de leitura: 2 minutos

A Festa Batmakumba é exclusivamente dedicada à Música Brasileira e busca sons de todos os cantinhos desse nosso Brasil imenso e cheio de misturas mágicas. Você vai dançar ao som dos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, a música dançante vinda do Pará de Felipe Cordeiro e Dona Onete, o rap Paulista de Criolo e Emicida, o rock candango de Renato Russo e sua Legião Urbana, a balada mineira de Skank e Milton Nascimento, o manguebeat pernanbucano de Chico Science e a Nação Zumbi, e do Rio de Janeiro temos a malemolencia de Jorge Ben, o soul de Tim Maia, o samba Cartola e Paulinho da Viola, e funk de Claudinho e Buchecha e muito mais.

 Dj Collet (Enquanto Corria o Bloco)
 Dj Gomes (Brasil Power Groove)

HISTÓRIA DA MPB

Podemos dizer que a MPB surgiu ainda no período colonial brasileiro, a partir da mistura de vários estilos. Entre os séculos XVI e XVIII, misturou-se em nossa terra, as cantigas populares, os sons de origem africana, fanfarras militares, músicas religiosas e músicas eruditas europeias. Também contribuíram, neste caldeirão musical, os indígenas com seus típicos cantos e sons tribais.

Nos séculos XVIII e XIX, destacavam-se nas cidades, que estavam se desenvolvendo e aumentando demograficamente, dois ritmos musicais que marcaram a história da MPB: o lundu e a modinha. O lundu, de origem africana, possuía um forte caráter sensual e uma batida rítmica dançante. Já a modinha, de origem portuguesa, trazia a melancolia e falava de amor numa batida calma e erudita.

Na segunda metade do século XIX, surge o Choro ou Chorinho, a partir da mistura do lundu, da modinha e da dança de salão europeia. Em 1899, a cantora Chiquinha Gonzaga compõe a música Abre Alas, uma das mais conhecidas marchinhas carnavalescas da história.

Já no início do século XX começam a surgir as bases do que seria o samba. Dos morros e dos cortiços do Rio de Janeiro, começam a se misturar os batuques e rodas de capoeira com os pagodes e as batidas em homenagem aos orixás. O carnaval começa a tomar forma com a participação, principalmente de mulatos e negros ex-escravos. O ano de 1917 é um marco, pois Ernesto dos Santos, o Donga, compõe o primeiro samba que se tem notícia: Pelo Telefone. Neste mesmo ano, aparece a primeira gravação de Pixinguinha, importante cantor e compositor da MPB do início do século XIX.

Fonte: Sua Pesquisa 

Seja um apoiador do Giro 0800 a partir de R$ 1,00 Clique aqui 

SERVIÇO

FESTA BATMAKUMBA

Data: 06/01/2017
Local: Rivalzinho
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33/37
Cinelândia – Rio de Janeiro – RJ
Horário: 19 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.