RODA DE SAMBA MOÇA PROSA

Tempo de leitura: 2 minutos

A Roda de Samba Moça vai receber as meninas do Projeto Sambas e Dissembas para uma roda de conversa sobre o tema: “As rosas não falam? O espaço da mulher nas rodas de samba”. A homenageada do mês da consciência negra é a maravilhosa Elza Soares, com sua história forte e toda contribuição para o samba, para as mulheres e para a música.

A Roda de Samba mais prosa e mais cheirosa do Brasil presta homenagem a todas as mulheres compositoras e intérpretes do Samba. Originado das rodas de samba da Pedra do Sal e da Oficina de percussão Batuque do Waguinho, o grupo Moça Prosa é um movimento de samba feminino que se estabeleceu na histórica região da Praça Mauá, no Rio de Janeiro, em 2012. Um sonho que virou realidade, das atuais rodas de samba da Pedra do Sal acontece o encontro da amizade e do amor à música. Com dedicação ao aprendizado nasce o Grupo Moça Prosa, roda de samba que presta uma homenagem a todas as mulheres compositoras e intérpretes do samba.

O batuque das prosas relembra grandes poetas, cantoras, compositoras de ontem e hoje, por meio do movimento pela cultura popular carioca. O Grupo Moça Prosa realiza um encontro mensal, em todo primeiro domingo, para celebrar a amizade e o amor pelo samba, recebendo os amigos na roda de samba misturando sambas antigos aos atuais. Em nossa roda resgatamos músicas compostas e interpretadas por grandes nomes do samba feminino como: Dona Ivone Lara, Clara Nunes, Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra, Beth Carvalho, Leci Brandão, Alcione, Elizeth Cardoso, Aracy de Almeida, Dolores Duran, entre outras. Celebramos o samba atual prestigiando o trabalho das sambistas Mariene de Castro, Luiza Dionízio, Tereza Cristina, Ana Costa, e outras. O samba do Grupo Moça Prosa chegou para exaltar a importância e a influência feminina dentro do cenário musical brasileiro passado e presente.

A Roda de Samba Moça Prosa é composta só por mulheres e acontece em um lugar histórico, a Pedra do Sal. Um monumento onde se encontra a comunidade remanescente de Quilombos da Pedra do Sal. É um local de especial importância para a cultura negra carioca e para os amantes do samba e do choro. Ela é considerada a Pequena África, que era de repleta de zungus, casas coletivas ocupadas por negros, escravos e forros.

Seja um apoiador do Giro 0800 a partir de R$ 1,00, conheça o projeto  Clique aqui

Conheça o nosso canal no Telegram, se inscreva totalmente grátis EU QUERO 

SERVIÇO

RODA DE SAMBA MOÇA PROSA.
Data: 18/11/2017
Local: Largo de São Francisco da Prainha
Saúde  – Rio de Janeiro – RJ
Horário: 16 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *