SAMBOTICA

SAMBOTICA

Tempo de leitura: 2 minutos

Passado a alegria do carnaval, o Sambotica voltará às atividades e celebrará o inicio de ano fazendo uma roda de Samba. Vem passar esse final de tarde com a gente e soltar o gogó. Vai rolar caldinho de feijão, cervejinha e tão dizendo por ai que chope também. O Largo do Boticário é um local residencial. Precisamos preservá-lo e deixar tudo limpo pra que tudo ocorra bem e continuar deixando esse lugar lindo da forma que ele é! Ajude-nos a manter esse clima com alegria, lixo no lixo e xixi no banheiro químico. Um espaço voltado para as múltiplas expressões das artes, com cursos, aulas e apresentações. Lugar de encontros e afetos.

HISTÓRIA DO LARGO DO BOTICÁRIO

Tudo começou em 1831, Joaquim Luís da Silva Souto, boticário que tinha um estabelecimento na antiga Rua Direita (atual Primeiro de Março), teve muito sucesso profissional. A Família Imperial estava entre seus clientes. Ganhando bem, Joaquim resolveu investir na região onde ficam as casas do Largo do Boticário.

A partir disso, aquela área do Cosme Velho, que hoje é próxima à subida para o Cristo Redentor, passou a se chamar Largo do Boticário, em referência à profissão de Joaquim Luís da Silva Souto”, conta o historiador Maurício Santos.

Ao longo dos anos, as casas que compõem o Largo foram palco de festas concorridas entre ricos, artistas e políticos brasileiros. Em 1846, o Marechal Joaquim Alberto de Souza Silveira, frequentador da Corte e padrinho de nascimento de Machado de Assis, morou em um dos imóveis do Largo do Boticário.

Já nos anos 1920, Edmundo Bittencourt, fundador do jornal Correio da Manhã, comprou o terreno e começou a construir casas em estilo neocolonial. Foi nessa época que a definitiva cara do Largo do Boticário começou a ser finalizada.

Algumas dessas reformas foram promovidas pelo diplomata e colecionador de arte, Rodolfo da Siqueira, (que era arquiteto amador e viveu no largo entre 1928 e 1941) e por Sylvia de Arruda Botelho Bittencourt e seu marido, Paulo, herdeiros do Correio da Manhã. Em determinadas obras realizadas no Largo nesse período, os famosos Lucio Costa e Gregori Warchavchik foram os arquitetos responsáveis.

O Sambotica vem escalado com:

Luiz Potter (bandolim)
Leo Carvalho (cavaco)
Miguel Brito (cavaco)
Marcelo Palmeira (Percussão)
Jeferson Moura (flauta)
Alberto Americano (7 cordas)
Rômulo Mariano (Percussão)

É na rua, só chegar!

SERVIÇO

SAMBOTICA
Data: 11/03/2017
Local: Beco do Boticário, 01
Largo do Boticário – Cosme Velho – RJ
Horário: 17 h às 21h30

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.