TERREIRO DE BREQUE

Tempo de leitura: 3 minutos

O Terreiro de breque comanda o Samba do Pinto. Chegou a hora de cultuar a velha boa forma cantando sambas sincopados, de breque, de terreiro, de roda, canções e ijejás com o Terreiro de Breque. O Terreiro de Breque é um Coletivo de sambistas com foco no repertório de sambas de breque, sincopados, terreiro, roda e maxixe, composições novas, desconhecidas ou pouco executadas. Pela sua própria concepção, o grupo tem facilidade de se adaptar a qualquer ambiente, de fazer sua música, que combina elementos tradicionais e comporta também muita renovação e busca constante de uma linguagem própria, quer num palco ou num teatro, quer ao ar livre ou em um botequim genuíno interessado nas raízes da música brasileira.

A HISTÓRIA DO TERREIRO DE BREQUE

Lá se vão sete anos de um encontro inesquecível: no réveillon de 2009, no Morro da Conceição, um samba improvisado avançou pela madrugada – e pelos anos vindouros. Era a semente do Terreiro de Breque, que germinou pela iniciativa de Fernando Amorim, Renan Sardinha, Zeh Gustavo e Quel Santos. Logo depois, juntou-se ao grupo, ainda nas primeiras apresentações, a cantora Fernanda Magá.

Alguns saíram, outros músicos chegaram e o Terreiro de Breque continua, fiel a seus princípios de promover rodas democráticas, abertas sempre às participações de músicos amigos, em eventos gratuitos ou com preços acessíveis de entrada ou couvert. A proposta musical abrange pra valer o samba de breque, renegado pelas outras rodas do Rio. Toma para si e enaltece as várias praças e vertentes que fizeram a história do samba. Faz-se voz do que tentam calar. Permite e promove a música inédita e canções ou autores pouco cantados por aí, sem o estigma de que “isso não funciona numa roda de samba”. Com entrega, alma e amor, tudo funciona!

Sempre em transformação, o grupo toma parte na rica história cultural da cidade do Rio de Janeiro: ao samba executado pelo Terreiro de Breque se somaram elementos de outras culturas musicais regionais, presentes principalmente na Região Portuária, como o ijexá de origem africana e o samba de roda baiano, o forró e a moda de viola dos migrantes nordestinos. É uma união de musicalidades.

O BAR DO OMAR

O Bar do Omar vem se tornando um ícone na cultura de bares cariocas, seu Dono, Omar, toca o bar com sua Família. Mariana, Ana e Omarzinho, são os responsáveis por toda essa magia. Com a simpatia de todo bom carioca, o local se torna um dos mais agraváveis para se frequentar nessa cidade.

Além de possuir uma vista exuberante para a Zona portuária do Rio, o Bar também é campeão em concursos de gastronomia, ficando entre os 10 pelo segundo ano consecutivo do “Comida di Buteco” E ganhador de vários prêmios pela revista Veja Rio, entre eles o Melhor hamburguer, melhor atendimento e a melhor vista.

Se você ainda não conhece está perdendo tempo. O lugar é palco de rodas de sambas de compositores da portela e o público que frequenta vem de todos os lugares do Rio de Janeiro. Atraídos pela simpatia, pela cerveja gelada e pela vista maravilhosa.

O Omar tem um lema para seus fregueses, “Não gostou, não paga”, mas tem um porém, tem que deixar no prato. Comer tudo e falar que não gostou, não cola. =D

Seja um apoiador do Giro 0800, conheça o projeto Clique aqui 

Conheça o nosso canal no Telegram, se inscreva totalmente grátis EU QUERO 

SERVIÇO

TERREIRO DE BREQUE
Data: 22/10/2017
Endereço: Rua do Catete, 97
Catete –  Rio de Janeiro – RJ
Horário: 18 horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *